Gestão Zen

Sacadas sobre gestão, finanças e tributação para micro e pequenas empresas.

Fim do emissor gratuito de NF-e da Sefaz

A Secretaria da Fazenda anunciou o fim do emissor gratuito de NF-e da Sefaz. Sua empresa está pronta para essa mudança? Veja neste artigo como se preparar.

Autor: Francesca Rodrigues | Leia em 6 minutos

Todas as operações de venda, sejam em lojas físicas ou virtuais, passam por um processo em comum: a emissão da nota fiscal eletrônica. A Secretaria da Fazenda anunciou o fim do emissor gratuito de NF-e da Sefaz, a partir de 1º de janeiro de 2017.

O fim será progressivo e afetará tanto quem emite NF-e quanto quem emite CT-e (Conhecimento de Transporte Eletrônico). Para quem utiliza a ferramenta do Governo, não haverá mais atualizações no sistema e não será possível contar com o suporte. Então o tempo de uso será limitado até que a falta de atualizações impeça o correto funcionamento.

Para os novos usuários não será mais permitido o download. Isso quer dizer que é necessário procurar alguma alternativa para a emissão da nota fiscal eletrônica ainda esse ano.

Qual o motivo de descontinuar o emissor gratuito de NF-e da Sefaz?

O emissor gratuito de NF-e da Sefaz era oferecido pelo Governo como forma de incentivo a padronização eletrônica das notas fiscais e extinção das NF no papel. Segundo a Secretaria da Fazenda, houve uma queda significativa no uso da ferramenta desde 2006.

Segundo a justificativa, a maior parte dos usuários que utilizavam o emissor gratuito deixaram de acessar e adquiriram um sistema mais completo e integrado. Para que todas as necessidades da empresa fossem sanadas com uma única ferramenta.

Com a utilização de emissores próprios de NF-e, os usuários da ferramenta do Governo caíram para 7,8% e no caso do CT-e o número é ainda menor: apenas 3,7% utilizam a ferramenta da Sefaz.

“A baixa utilização levou a Sefaz a repensar o emissor, pois o aplicativo é limitado em suas funções, estando muito aquém de outros disponíveis no mercado que possibilitam integrações com os demais sistemas das empresas”, diz a supervisora fiscal de documentos digitais do Sefaz, Simone Terra.

Aproveite o momento!

Já que você migrará para outro emissor, por que não aproveitar o momento? Que tal procurar uma ferramenta que além de ajudar na emissão de NF-e, ajudará a gerenciar seu negócio?

Algumas ferramentas permitem o controle de estoque, administração de fluxo de caixa, controle de contas a pagar e receber, além de facilitar o preenchimento das Notas Fiscais, permitindo salvar informações de clientes e muitos outros recursos indispensáveis para um bom funcionamento da empresa, independente do tamanho que tenha.

Com esses recursos disponíveis, é possível centralizar todas as informações que você precisa para gerenciar sua empresa em uma única ferramenta, melhorar seus processos rotineiros e ter mais tempo para investir no seu negócio.
Além de ter respostas para algumas perguntas que acontecem diariamente na sua empresa, como: qual o total vendido por mês ou anual. Será possível fazer análises e ver dados reais.

Escolha um software que tenha um suporte de verdade, seja presencial ou via internet. Importante é garantir que quando surgirem dúvidas você será atendido o mais rápido possível e por pessoas capacitadas.

A ASSEINFO disponibiliza soluções fáceis e práticas que certamente se ajustam a sua necessidade. Nossas ferramentas permitem a emissão de NF-e de maneira muito mais simples, além de auxiliar na gestão do seu negócio e tornar o processo descomplicado.

E agora? Como emitir NF-e?

Com o término do emissor gratuito de NF-e da Sefaz, é necessário encontrar um substituto. Independente da ferramenta que escolher, para continuar emitindo NF-e, é necessário se atentar nas seguintes etapas:

Cadastro na Sefaz

O cadastro na Sefaz é simples, mas obrigatório, pode haver alterações no procedimento de registro conforme o estado da empresa. Em Santa Catarina, por exemplo, é possível realizar o credenciamento pelo site da Secretaria da Fazenda.

No site da Secretaria da Fazenda de alguns estados existem tutoriais explicando o passo a passo para o cadastro. Seu contador também saberá orientá-lo caso tenha alguma dúvida nessa etapa.

Certificado Digital

Para a emissão da NF-e é necessário possuir um certificado digital que esteja na validade. O certificado faz a validação da sua assinatura como empresa, identificando e protegendo as suas informações. Caso ainda não tenha, ou seja necessário renovar o seu certificado digital, é necessário procurar uma Certificadora autorizada pela ICP (Autoridade de Chaves Públicas).

Cadastrar as informações da sua empresa no novo emissor

É necessário cadastrar as suas informações na nova ferramenta escolhida. As informações padrões são: CNPJ, Inscrição Estadual, Regime Tributário e afins. É possível haver algumas variações devido a escolha do emissor de NF-e, mas a regra geral é a mesma.

Exportar os dados do emissor gratuito de NF-e do Sefaz

Após realizar essas três etapas, sua empresa já estará pronta para emitir notas fiscais no novo emissor escolhido. Mas, o novo sistema aparecerá em branco, sem as informações do emissor gratuito de NF-e do Sefaz. Para recuperar as suas informações existem duas possibilidades:

Exportar suas informações individualmente em TXT, exemplo: primeiro as notas fiscais, em segundo os clientes, e assim adiante. Nesse formato suas notas fiscais estarão disponíveis somente como controle, não sendo utilizáveis a nível de fiscalização.

A segunda opção é a que recomendamos: a exportação das informações em XML. O formato XML faz as suas notas fiscais serem válidas perante o Fisco e na maioria das ferramentas de emissão de nota fiscal, com esse tipo de exportação, as informações dos clientes já são exportadas também.

Para fazer a exportação no emissor gratuito de NF-e do Sefaz, é necessário seguir o passo a passo:

PASSO 01: Ir no menu Notas Fiscais e selecionar o campo Gerenciar Notas.
fim do emissor gratuito

PASSO 02: Nos filtros Tipo de NF-e e Situação da NF-e devem estar selecionado “todos” e clicar em pesquisar. Deve-se, então, clicar em “selecionar todos” e em “Exportar…”. Se existirem notas fiscais com a situação “em digitação” ou “validada”, não será possível criar arquivo XML (só em TXT). Se você identificar esse erro, não selecione as notas com essa situação.

fim do emissor gratuito

PASSO 03: Quando aparecer a tela para a exportação, deve-se clicar em “Arquivo XML” e em “Localizar”.

fim do emissor gratuito

PASSO 04: Cria-se então uma nova pasta exclusiva para esses arquivos.

fim do emissor gratuito

fim do emissor gratuito

PASSO 05: Sua tela ficará dessa maneira e então é só clicar em exportar.

fim do emissor gratuito

Sua exportação estará pronta!

fim do emissor gratuito

O processo é simples, mas é válido somente para uma página de pesquisa. É necessário repetir em todas as páginas existentes dos resultados das notas fiscais.

Se optar por exportar os arquivos em TXT, o processo é o mesmo, mas durante o passo 04, em vez de selecionar “Arquivo XML”, deve-se selecionar “Arquivo TXT” e seguir todos os próximos passos. Caso seja exportado em TXT é necessário ainda fazer todo o processo com os dados dos clientes:

PASSO 01: Para exportar os dados dos clientes é necessário entrar em Cadastros e selecionar a opção Cliente.
fim do emissor gratuito

PASSO 02: Após a abertura da tela, é preciso selecionar todos os clientes e clicar em “Exportar”.
fim do emissor gratuito

Após a seleção você pode seguir os passos da exportação da NF a partir do passo 04 até o final do tutorial.
Ficou com alguma dúvida? Mande para nós, será um prazer ajudar! Se quiser conhecer uma excelente alternativa para substituir o emissor gratuito de notas fiscais, cadastre-se aqui para testar o Fácil123.