Gestão Zen

Sacadas sobre gestão, finanças e tributação para micro e pequenas empresas.

Veja 6 dicas para administrar e otimizar o seu capital de giro

Capital de giro é a quantia para pagar as despesas enquanto o negócio não começa a dar lucro. Veja nossas dicas para administrar seu capital de giro!

Autor: Consultor ASSEINFO | Leia em 2 minutos

Ter capital de giro é essencial para o seu negócio. Afinal, para manter suas operações funcionando, é preciso ter uma quantia em dinheiro que garanta isso. No entanto, este valor fundamental é desconsiderado pelos gestores iniciantes, que se preocupam apenas com o investimento inicial e esquecem que precisam de uma quantia para pagar as despesas enquanto o negócio não começa a dar lucro.

Neste post, selecionamos dicas de como administrar e otimizar seu capital de giro. Confira!

Investimento do dinheiro parado

O capital de giro é aquele utilizado para gastos imediatos. Por isso, liquidez é um ponto essencial. Esta quantia precisa estar disponível para ser usada imediatamente, se for o caso. Não adianta ter dinheiro em um investimento de longo prazo ou em um imóvel para ser usado como capital de giro.

Isso não quer dizer que manter a quantia parada na conta seja a melhor solução. Esta prática permite que o dinheiro seja desvalorizado pela inflação. Para manter o capital de giro disponível, mas, ao mesmo tempo, rendendo, o ideal é colocá-lo em investimentos que tenham liquidez diária, como os CDBs, ou até mesmo na poupança, que tem rentabilidade, apesar de baixa.

Foco na quantia atual

Contar com dinheiro que ainda não está disponível na conta é um dos maiores erros no gerenciamento do capital de giro da empresa. Por isso, considere como receita apenas aqueles valores em que a nota fiscal já foi emitida, que o boleto e o dia de pagamento já foram fechados e aceitos.

Antes disso, a receita não deve entrar no fluxo de caixa projetado e, consequentemente, não deve compor o capital de giro da empresa.

Pesquisa de empréstimos

Nunca recorra a empréstimos que tenham taxas que superem a rentabilidade do negócio. Pesquise os juros cobrados e fique atento a indicadores de desempenho como lucratividade, rentabilidade, ponto de equilíbrio e prazo de retorno do investimento antes de solicitar ao banco uma quantia emprestada.

Redução de prazos de recebimento

Para equilibrar o capital de giro da empresa, busque reduzir o prazo de recebimento do negócio. Para isso, é preciso mudar a forma de negociar com clientes. Foque em reduzir itens como prazo de parcelamento de vendas, além de incentivar pagamento à vista.

Negociação com fornecedores

Estabelecer uma negociação mais proveitosa com os fornecedores é outro passo importante para manter o capital de giro sob controle. Busque aumentar os prazos de pagamento e só pague à vista caso o desconto seja maior do que o custo do capital de giro.

Comece a negociação com os fornecedores mais antigos. Priorizar aqueles em quem você já confia é via de mão dupla. Da mesma forma que seu negócio precisa deles, eles precisam do seu negócio.

Investimento em planejamento financeiro

Para administrar o capital de giro com sabedoria, planejamento financeiro é essencial. Identifique custos que podem ser reduzidos e/ou otimizados, planeje seus gastos e fique sempre atento ao fluxo de caixa para manter as finanças corporativas em dia.

E você? Como gerencia o capital de giro da empresa? Tem alguma dica para otimizá-lo ainda mais? Deixe nos comentários.